1

Como Fazer uma Viagem Econômica para o Rio de Janeiro

Fazer uma viagem econômica para o Rio de Janeiro não é uma tarefa difícil e a minha viagem para lá foi assim. Eu não estava com muita grana e não queria mais adiar a viagem, então eu fui no estilo mão de vaca mesmo. Nesse post vou mostrar para vocês como isso é possível e detalhar o roteiro que eu fiz por lá.

Eu fiquei cinco noites no Hostel Massapê na Lapa, o valor da diária foi de R$30 e fiz a reserva através do booking.com. O hostel era muito bom, limpo e organizado, e tinha um bom café da manhã servido até as 10h. Para cada dia eu reservei R$60, nesse valor estava incluído transporte, alimentação e passeios. Ao menos uma refeição eu cozinhava no hostel, geralmente o jantar. Além desse valor, eu gastei mais R$70 para o pão de açúcar e R$56 para o Cristo Redentor. Então meu roteiro ficou assim:

Dia 1

Cheguei no hostel por volta das 9h e meu check-in era as 14h, mas o pessoal liberou minha entrada mais cedo (pessoal gentil 🙂 ). Guardei minhas coisas e sai para dar uma volta pela Lapa e comer alguma coisa. Depois voltei para o hostel para descansar, pois eu tinha feito uma viagem longa. Fui almoçar no subway (santos fast-foods que nos salvam) e depois fui para a praia de Copacabana. Foi uma tarde bem divertida, pois logo que cheguei eu conheci umas garotas da Argentina e Peru e depois dois garotos de Israel se juntaram a nós. Passamos a tarde na praia conversando e tomando caipirinhas. Na volta, passei no supermercado e comprei algumas coisas para cozinhar no hostel.

Tarde em Copacabana

Tarde em Copacabana

À noite fui ao Clube dos Democratas na Lapa mesmo, estava rolando forró (eu amo Forró). A entrada era free até às 21h. Lá eu conheci uma garota do Rio, nos divertimos e dançamos muito, com direito a cerveja gelada.

Dia 2

No segundo dia eu aluguei uma bike no projeto de sustentabilidade chamado Bike Rio. O projeto funciona assim: você baixa o aplicativo no seu celular, se cadastra incluindo um número de cartão de crédito. Existem vários pontos pela cidade, com algumas bikes estacionadas que você pode utilizá-las.

Elas não são gratuitas, existem dois planos disponíveis. Você pode escolher o passe diário no valor de R$5 ou o passe mensal no valor de R$10. Como eu ia usar a bike mais de uma vez, resolvi pegar o plano mensal, pois sairia mais em conta. Mas vale lembrar que, a cada 1h de uso da bike, você deve devolvê-la à qualquer uma das estações espalhadas pela cidade e esperar 15 minutos para retirar uma outra bike e continuar o passeio. Se não fizer isso, serão cobrados mais R$5 do seu cartão de crédito. Aproveite este tempinho pra curtir a região a pé. Você pode procurar a estação Bike Rio mais próxima de você através do aplicativo!  As bikes podem ser retiradas em uma estação e devolvida em outra estação diferente, sem problemas. As estações ficam próximas às praias e pontos turísticos, o que facilita muito a vida do turista que quer fazer uma viagem econômica pelo Rio.

Pelo Aterro do Flamengo com a Bike Rio

Pelo Aterro do Flamengo com a Bike Rio

Com a bike eu fui da Lapa até a Praia Vermelha, passando pela Marina da Glória, Aterro do Flamengo e praia de Botafogo. De lá eu fiz o passeio para o Pão de Açúcar. Meu passeio durou cerca de 2 a 3 horas e depois dei um tempo na praia Vermelha. Jantei e depois sai para tomar cerveja com um peruano que conheci no hostel.

pão de açúcar

Dia 3

No terceiro dia conheci a Anne, uma Inglesa que estava no mesmo quarto que eu e era o seu último dia no Brasil. Infelizmente não havíamos nos encontrado antes. Fomos para Ipanema, Arpoador e Leblon.

Minha amiga Anne. Será que parecemos mesmo irmãs? rsrs

Minha amiga Anne. Será que parecemos mesmo irmãs? rsrs

À noite comemos em uma barraca de lanches na Lapa e fomos curtir a noite por lá. Foi engraçado, porque todo mundo perguntava se nós éramos irmãs. Acho que é porque as pessoas não acreditam que podem existir duas pessoas ruivas que não sejam da mesma família 🙂 . Não pagamos para entrar em nenhum bar. Ficamos um bom tempo curtindo um samba na rua mesmo e depois entramos em 2 bares que eram free, um de reggae e outro de rock.

Noite na Lapa

Noite na Lapa

Dia 4

Neste dia eu acordei um pouco tarde e então almocei no hostel mesmo. Era sábado, dia de feira e eu definitivamente amo feiras de rua. A feira do Lavradio acontece todo primeiro sábado do mês e fica na Rua do Lavradio na Lapa. A feira dura o dia todo até às 17h e você pode encontrar diversos tipos de coisas, desde antiguidade até roupas e sapatos. É um bom lugar para comprar lembrancinhas de viagem com ótimos preços. Eu comprei 2 imãs de geladeira por R$10, era 12 mas eu barganhei e levei por menos 🙂

Ícone na Feira do Lavradio

Ícone na Feira do Lavradio

Nesse dia eu também aproveitei para conhecer Santa Teresa e andar de bondinho. A noite teve uma festinha no hostel com direito a caipirinha free, então fiquei por lá.

Santa Teresa

Santa Teresa

Dia 5

No domingo fui até a Barra da Tijuca, passei a manhã lá e depois do almoço fui fazer a trilha da Pedra do Telégrafo. Fiz a trilha com um grupo e com um guia, comprei o passeio pelo Peixe Urbano e paguei R$19,90. Não tenho fotos desse dia em diante porque perdi meu celular antes de passar as fotos para meu email 🙁 . Mas você pode conhecer a Pedra do Telégrafo aqui. A noite cheguei cansada, jantei no hostel, tomei uma cerveja que comprei no mercado e fui dormir.

Dia 6

No ultimo dia eu acordei cedo e fui de bike até o bairro de Cosme Velho e lá fiz o passeio para o Cristo Redentor. O almoço foi em um restaurante próximo ao Largo do Machado, custou R$16 + 4 do suco. O prato era individual e tinha arroz, filé de peixe grelhado, fritas e salada e na verdade servia até 2 pessoas. Enquanto eu almoçava encontrei as meninas da Argentina e Peru que eu havia conhecido no meu primeiro dia. Coincidência ou não, seguimos nós para a Lagoa Rodrigo de Freitas e Jardim Botânico. E assim finalizei minha viagem econômica pelo Rio.

Esses seis dias deu para aproveitar bastante. Fui com o intuito de curtir praia, então não visitei nenhum museu. Com certeza falta muita coisa para se conhecer por lá e sei que o que não faltará é oportunidade para isso.

A minha viagem foi uma super viagem econômica e valeu a pena eu não ter adiado. Minha dica para economizar, e foi o que eu fiz, é aproveitar bem o café da manhã oferecido pelo hostel. Almoce em fast food ou faça lanches mais em conta e cozinhe o jantar no hostel. Mas reserve um dia para comer em um restaurante legal, o que não precisa ser necessariamente um lugar caro, como eu fiz no meu último dia.

Por fim, meu custo total da viagem foi:

Passagem: R$470

Hospedagem: R$150

Gastos diários: R$60/dia x 6 = 360

Cristo e Corcovado: R$196

Total: R$1176

Espero que com isso eu consiga mostrar que para viajar não precisa ter rios de dinheiro. Claro que cada um tem um estilo de viagem diferente, mas viajar é possível para todos.

 

 

Reserve sua acomodação pelo link, você não pagará nada a mais por isso e sempre terá dicas ótimas para planejar e inspirar suas viagens, ajudando assim a manter o blog.

 

Booking.com

 

Amanda

Viajar é minha vocação, tenho o espírito livre e detesto os caminhos convencionais.

One Comment

  1. Muito legal o seu post, eu tb faço algumas viagens no estilo mão de vaca e nunca passeio apertado. Sempre que eu posso eu aproveito o couchsurfing para economizar e conhecer pessoas locais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *